sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Carta Aberta a Alan Ghani



Li atentamente seu texto “Fascismo não é de direita. Entenda” publicado no site Infomoney e discordo completamente de sua visão equivocada sobre o tema que se propôs escrever. O mesmo já começa com lugares comuns que dificultam qualquer análise mais profunda e séria sobre a questão. Ao contrário, do que o texto pretende afirmar, fascismo, assim como o nazismo é sim uma ideologia de direita, extrema direita, para ser mais preciso, mas evidentemente de direita.

Não Cuba não é um paraíso social. Os motivos que me levam a afirmar isso possibilitam a publicação de outro texto, para tratar melhor esta questão, por isso não farei isso aqui. E não os EUA e o capitalismo, não são responsáveis por todas as desgraças do mundo, ainda que tanto o país citado como o sistema em questão tenham sim ampla parcela de culpa em uma boa quantidade de mazelas enfrentadas pela humanidade.

Sua definição sobre direita é baseada em mitos criados pelos liberais, para maquiar a realidade, a liberdade individual é algo cada vez mais escasso quando o assunto é mercado, assim como o livre comércio, uma vez que uma pequena quantidade de conglomerados econômicos controla parcelas consideráveis dos mercados mundiais.

O mesmo pode se afirmar sobre a questão da redução da pobreza uma vez que a riqueza das nações desenvolvidas se deu justamente através da exploração das ex-colônias das mesmas, vide a realidade de pobreza na África, que não me deixa mentir.

Já sua visão sobre a esquerda é rasa demais para ser levada a sério. É necessária de sua parte uma maior profundidade sobre o tema, para evitar equívocos como entender que a transição para o socialismo/comunismo passa necessariamente pelo fortalecimento do Estado, mas o controle social do mesmo é algo transitório e não definitivo.

Seu texto torna-se ainda mais contraditório ao afirmar que “... ser de direita é desejar um Estado Mínimo, livre mercado e democracia, como é que os liberais podem ser associados ao fascismo...”. Pois bem, volte um pouco no tempo e veja qual era o posicionamento dos EUA em relação às ditaduras latino americanas. Quem apoiou Pinochet contra Allende? A direita ou a esquerda? E no Brasil?

No Uruguai? Quem apoiou a ditadura daquele país contra os guerrilheiros Tupamaros, que deu à esquerda latino America, nomes importantes como Tabaré Vázquez e José “Pepe” Mujica, apenas para citar alguns exemplos. Não se deve e não se pode negar a história caro Alan Ghani.

Além do mais, se o comunismo/socialismo defende o Estado Máximo e o Nazifascismo também, por que será que nem Mussolini e nem Hitler estatizaram empresas como FIAT, BMW e Mercedes, apenas para citar alguns exemplos importantes? Os bolcheviques estatizaram todas as forças produtivas pós 1917, mesmo com a implantação da NEP “Nova Política Econômica”.

O socialismo/comunismo é algo muito mais próximo do anarquismo do que do fascismo (basta lembrarmos aqui que nomes como Bakunin e Preudhome entre outros, buscaram o anarquismo justamente por pequenas divergências com Marx e os marxistas) ainda que o nazismo tenha surgido de um partido nacional socialista, o que o afasta do socialismo, justamente por que este defende o internacionalismo e não o nacionalismo. Quanto aos exemplos de Reagan e Tatcher, se esses são tão favoráveis a liberdade, por que as forças militares destes países oprimiram tantos povos?

2 comentários:

  1. Pode comentar sobre esse texto dele? http://www.infomoney.com.br/blogs/economia-e-politica/economia-e-politica-direto-ao-ponto/post/5634314/alem-porta-dos-fundos-que-gregorio-duvivier-nao-explicou-sobre?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=Lara+Rizerio

    ResponderExcluir
  2. Sr Ricardo Abreu, pelo discurso recheados de chavões de um partido que fez o que fez com os destinos do Brasil (pixulecos, enriquecimentos, locupletações de toda ordem), o senhor me parece daqueles blogueiros que mamaram nas tetas do estado petista e que agora vivem de escassez do dim dim fácil, para despejar essas argumentações toscas para defender o indefensável.

    ResponderExcluir